BOTAFOGO SAI NA FRENTE NA DECISÃO DO CINQUENTINHA

Botafogo venceu o Capão Raso por 2×0 com sobras. Joga a partida da volta sábado que vem podendo empatar pra ser campeão de 2017. (Fotos: Jorge Luiz da Silva).

Com a presença de autoridades locais, notadamente do vice-prefeito e secretário de Obras e Viação, Thiago Bührer e de seu pai, o deputado federal Francisco Bührer, o Botafogo, de São José dos Pinhais venceu o Capão Raso, sábado cedo no belo Estádio Municipal do Pinhão, por 2×0, no jogo de ida da Final do Campeonato Paranaense de Seniores, o famoso Cinquentinha, da Associação Paranaense do Esporte – APE, dirigida por Leonides Dreveck, também presente, juntamente com seus dirigentes Toninho Silva e Eli Suldovski.

Com a estupenda vitória, o alvinegro de São José dos Pinhais, joga com o benefício do empate, pra se sagrar campeão de 2017, no jogo da volta, sábado que vem no Estádio José Carlos de Oliveira Sobrinho, do Capão Raso.

Em caso de vitória do Capão Raso, haverá uma terceira partida pra decidir quem será o campeão do ano, na qual o Capão joga pelo empate, devido a melhor pontuação ao longo do famoso campeonato.

O jogo – Desde o início, ao apito final do árbitro, o Botafogo mandou na partida, ficando até barato o placar de 2×0. Um dos motivos foi a ausência da dupla João Caverna, meio-campo e Laguna, atacante no Capão. Apesar de contar com Adoilson e a estreia de Saulo, na etapa final, o Capão sentiu bastante a falta dos dois.

Por outro lado, o Botafogo realizou uma de suas melhores apresentações, senão, a melhor, com vários destaques: em primeiro, o meia-atacante Carlos Alberto Dias, quase uma unanimidade, mesmo atuando apenas o segundo tempo; em seguida, Cabelinho e Ademir; e ainda Vilmar e o capitão Celinho.

Completando, Irlan, Pedralli, Ádio e Jefferson Kramer também foram muito bem, sem que os demais destoassem.

No Capão, apesar da voluntariedade de todos, o time não teve o mesmo brilho de outras jornadas, tanto que o goleiro João Edilson foi um dos melhores, evitando um placar mais dilatado. Enquanto isso, o goleiro Edimar, do Bota, foi mais um espectador privilegiado.

Disperso, o time perdeu o duelo no meio de campo e quase não chegou no ataque. Criou poucas oportunidades e sua defesa foi o que de melhor o time apresentou.

Inacreditável – No primeiro tempo, aos 26′, o Botafogo acertou com Jefferson Kramer, em tiro cruzado, as duas traves do Capão. A bola foi parar nas mãos do goleiro João Edilson, caído.

1×0 – A defesa do Capão teve bastante trabalho e conseguiu segurar o ímpeto do Bota no 1.º tempo. Mas aos 9′ iniciais da segunda etapa, num escanteio cobrado por Carlos Alberto Dias, Figueiredo, um de seus  destaques, teve a infelicidade de cabecear contra sua meta, numa acirrada disputa com o capitão do Botafogo, Celinho, pelo alto.

2×0 – De tanto insistir, o time da Estrela Solitária, fez o segundo: aos 48′, Ádio fez grande jogada pelo miolo de ataque e serviu Vilmar na esquerda. Este bateu forte, cruzado lacrando o placar final.

Nota 10! – Sidnei Bombílio teve uma excelente arbitragem, muito bem auxiliado por Tiago de Oliveira e Thiago Ferreira. Na mesa, a eficiência de sempre de Eli Suldovski.

Botafogo: Edimar; Migalha, Celinho (c), Irlan e Ademir; Cabelinho, Pedralli (Ádio) e Néia (Carlos Alberto Dias) (a); Jefferson Kramer, Marco Aurélio (Paulinho) e Vilmar (a). Mais: Gilson, Goiaba, João, Juninho, Leitão e Índio. Técnico: Diógenes Pereira. Dir.: Gil de Lima. Mas.: Chula.

Capão Raso: João Edilson; Marino (Saulo), Edson Andrade, Loemir e Zeca (Gerson) (a); Figueiredo, Nei (PC Jatobá), Roney (c) e Adoilson; Ronaldo Lobisomem (Paulinho) e Ezequiel. Mais: Jecé; Almir, Tiza, Marquinhos e Carlinhos Coelho. Técnico: José “Zezão” Benedito de Assis. Dir.: Amilton Freire e Mas.: Sérgio França.

Capão Raso precisa vencer o jogo da volta pra forçar uma terceira partida também em seu estádio, que deverá apanhar um belo público no próximo sábado.
Palmas pro Botafogo que fez uma partida irrepreensível. Este foi seu segundo gol, marcado contra, num lance infeliz de Figueiredo, caído, junto ao goleiro.
Adoilson (11) e seus companheiros não conseguiram deter o time de Cabelinho, Néia (10) e cia.
Carlos Alberto Dias jogou (e como jogou) apenas um tempo, mas foi o suficiente pra sair com unanimidade de melhor da decisão. A bola cola em seu pé.
Sidnei Bombílio (árbitro), ladeado pelos assistentes Thiago Ferreira e Tiago Oliveira, mais os capitães Roney (CR) e Celinho (Bota). Todos foram bem.
Leonides Dreveck, comandante da APE, ladeando os Bührer, Francisco e Thiago, aquele deputado federal, este vice-prefeito e Secretário de Obras e Viação de São José dos Pinhais, pai e filho trabalhando em prol do futebol do município.
Após o jogão, o time se confraternizou, como de praxe, em todas as equipes de Cinquentinhas.

Compartilhe este conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *