CINQUENTINHAS: CAPÃO RASO VENCE O BOTAFOGO E FORÇA A TERCEIRA PARTIDA

Capão Raso deu o troco no Botafogo, forçando a terceira decisão do título e agora vai com a vantagem do empate, em seu campo. (Foto: Jorge Luiz da Silva).

Com uma competente performance, o Capão Raso venceu o jogo da volta contra o Botafogo, por 2×1, e conforme o regulamento, levou a decisão do Campeonato Paranaense de Seniores, o famoso Cinquentinhas, para uma terceira e definitiva decisão.

A finalíssima está marcada para o sábado, 11 de novembro, pulando o próximo, 4/11, em virtude do feriado, onde o time de Juarez Mocelin, joga pelo empate pra levantar o caneco pela sétima vez. Ao Botafogo só resta a vitória pra ser bicampeão.

Atípico – O jogo mal começou e o Capão Raso abriu o placar, aos 3 minutos. Aos 9′, seu goleirão João Edilson, voou e fez uma grande defesa mas na queda bateu a cabeça na região da fonte, no pé da trave, começando aí um verdadeiro drama compartilhado por toda torcida presente no estádio.

Mas, em condições físicas duvidosas, João Edilson continuou em campo!

1×0 – Aos 3′, Laguna cobrou escanteio, a zaga do Bota tentou tirar, deu rebote por duas vezes, sobrando pra Adoilson na pequena área, bater com sucesso entre os vários botafoguenses à sua frente.

Era tudo que o Capão precisava. Era tudo que o Bota não esperava!

Acidente – Aos 9′, o Botafogo queria o empate e mandou uma bola ao gol de João Edilson. O goleiro fez uma portentosa defesa no ângulo, salvando sua equipe. Na queda aconteceu o citado acidente.

O jogo ficou paralisado cerca 15 minutos para que o goleiro se recuperasse. Depois disso, em condições duvidosas ele insistiu em continuar em campo. O Botafogo não chutou nenhuma bola em sua meta até o apito final do 1.º tempo.

Após um intervalo maior que o normal, Mocelin entrou no lugar de João Edilson, que saiu a contra-gosto, visivelmente em estado crítico e segundo os companheiros, com síndrome de pânico.

O drama do goleiro continuou no vestiário. Quando o Siate chegou o Capão aumentou o placar. Ele saiu olhando pro campo, mas sem entender o que estava acontecendo à sua volta. Sua memória apagou, em relato dele, nesta segunda-feira.

2×0 – Adoilson, novamente pegando uma sobra marcou mais um, aos 13′.  Depois levou o jogo em banho-maria, com amplo domínio.

2×1 – Para o Botafogo nada deu certo, numa inversão inacreditável do jogo anterior. Só aos 45′, o Bota diminuiu através de Vilmar. De fora da área e pelo alto, ele chutou. A bola foi direto pra dentro do gol de Mocelin, que não conseguiu detê-la. Mas já era tarde. Fim de jogo com vitória justa do Capão Raso, pra alegria de sua grande torcida.

Arbitragem segura de Anderson Conde, auxiliado por Adilson Almeida Maciel e Guilherme Russo. Na mesa, a perfeição de sempre com Eli Suldovski.

A lamentar somente a demora da chegada do Siate, que foi chamado por várias pessoas e chegou cerca de 40 minutos depois, deixando nesse período todos angustiados, pois o goleiro apresentava quadro assustador.

Porém, foi bem atendido no Hospital do Trabalhador (HT), onde fez tomografia e outros procedimentos, saindo no início da noite de sábado para o convívio familiar.

Segundo Adilson Wosniak, seu grande amigo, que o acompanhou ao HT, João Edilson está bem, dando sinais que poderá vestir a camisa do Esquadrão de Aço na próxima partida.

Capão Raso: João Edilson (Mocelin); Marino (PC Jatobá), Lume (Zeca), Leonardo e Laguna (a); Figueiredo (a), João Caverna (Nei) e Roney (c); Ronaldo Lobisomem (Paulinho), Ezequiel e Adoilson (Saulo). Mais: Jecé; Almir, Róberson, Marquinhos e Gerson. Técnico: Zezão. Aux.: Amilton. Mas.: Jecé. Roupeiro: Ade.

Botafogo: Edimar; Migalha, Celinho (c), Irlan e Ademir; Cabelinho, Vilmar (Clóvis), Néia (Carlos Alberto Dias) e Ádio (Juninho); Jefferson Kramer e Marco Aurélio (Paulinho). Mais: Gilson, Leitão, João, Índio, Goiaba, Da Gama e Pedralli. Técnico: Diógenes. Auxs.: Willian e Gil. Mas.: Chula.

Ronaldo Lobisomem corre abraçar Adoilson, que abriu o placar e depois aumentou, garantindo a vitória do Capão Raso.
A marca da batida de João Edilson na trave ficou visível, assustando a todos dentro de campo. Mas ele insistiu e ficou em campo até o final do 1.º tempo.
A bola chutada por Vilmar veio pelo alto enganando Mocelin, que ficou sem ação. Mas a reação veio muito tarde, sem tempo pra mais nada.
Bom duelo entre Ezequiel (9) e Cabelinho. Desta vez, aquele saiu vencedor.
Torcida de ex-craques presente no José Carlos de Oliveira Sobrinho, que deverá voltar dia 11/11.
Pelos lados do Botafogo, a torcida se fez presente também e até com faixa de apoio. Devem voltar após o feriado.
Edo Caveirinha e Charles Krüger, da Capital Sul FM pontificando mais uma vez na decisão.
Matando a saudade dentro das quatro linhas, o narrador Marco Aurélio Chicora fez as reportagens pra Capital Sul FM.
Paulão e Neizinho craques do Flamengo com o cronista esportivo, consagrado Paulo César Tiemann.
Diógenes e Willian, dois dos grandes responsáveis pelo sucesso do Botafogo.

Compartilhe este conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *